Home
últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Novela Segundo Sol
Novela O Tempo Não Para
Novela Espelho da Vida
Malhação - Vidas Brasileiras
As Aventuras de Poliana
Novela Jesus
Novela O Sétimo Guardião
Resumo de novelas
TV
Domingão do Faustão
Mais Você
Encontro com Fátima
Caldeirão do Huck
Fantástico
Cinema
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Leonardo Dicaprio
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Giovanna Antonelli
Meghan Markle
Chay Suede
Letícia Colin
Camila Queiroz
Sabrina Sato
Michel Teló
Juliana Paes
Cabelos
Make
Moda
Dieta & Saúde
Beleza & Estética

Reginaldo Rossi morre aos 69 anos em Pernambuco, vítima de câncer

Reginaldo Rossi morre aos 69 anos, em Recife, Pernambuco, em 20 de dezembro de 2013
18 fotos
Iniciar o slideshow
Reginaldo Rossi morre aos 69 anos, em Recife, Pernambuco, em 20 de dezembro de 2013

O cantor Reginaldo Rossi morreu nesta sexta-feira (20), aos 69 anos, em Recife, capital de Pernambuco. O cantor estava internado na UTI do Hospital Memorial São José em decorrência de um câncer no pulmão, mas não resistiu ao tratamento.

Em conversa com Purepeople, Antônio Mojica, empresário do artista, conta que a família e os amigos estão muito abalados com a notícia. "Ele piorou muito ontem, já estava entubado e sedado. Tudo ficou muito ruim mesmo. Celeide (mulher do cantor) ficou o tempo todo ao lado dele", diz.

Fumante por mais de 50 anos, Reginaldo foi internado no dia 28 de novembro, com fortes dores no tórax, nas costas e muita tosse. Na ocasião, ele realizou diversos exames e chegou a fazer uma cirurgia para a retirada de dois litros de líquido do pulmão.

Após uma biópsia no órgão, o cantor descobriu no dia 11 de dezembro que estava com câncer. "Reginaldo fumava quatro maços de cigarro por dia. Quando foi internado, reclamava que estava com uma gripe que não passava. Chegou ao hospital com muita dor no peito... Já era a doença", relembra Mojica.

Quando recebeu o diagnóstico de câncer, Reginaldo foi bastante positivo. "Vamos brigar que eu vou ganhar", disse ele a pessoas próximas. O cantor ainda fez as primeiras sessões de quimioterapia e hemodiálise, o que surtiu um breve efeito.

No início desta semana, o intérprete de "Garçom" teve uma leve melhora e deixou os médicos otimistas. Ele estava "sem febre e com uma evolução satisfatória", conforme informou o boletim médico divulgado na segunda-feira (16).

Na noite desta quinta-feira (19), no entanto, Reginaldo apresentou piora em seu quadro clínico e foi entubado, segundo o hospital. O cantor teve uma aplasia medular por causa da quimioterapia, considerada a fase mais crítica do tratamento, quando o paciente perde as defesas e há uma redução na produção de sangue.

Os médicos chegaram a usar medicação para controlar a pressão arterial do músico e tentaram se reunir para encontrar outras formas para reverter a situação, mas ele não resistiu.

Reginaldo Rossi deixa a esposa, Celeide, com quem estava junto há mais de 40 anos, e um filho, Roberto, 35. O cantor também tinha um filho, de criação: José Joelson de Oliveira, carinhosamente conhecido como "Robertão", de 50 anos. Os familiares ainda estão decidindo a hora e local do velório e enterro do cantor.

Trajetória na música

Reginaldo Rossi nasceu no dia 14 de fevereiro de 1944, em Recife, Pernambuco. Antes da carreira de cantor, ele estudou Engenharia Civil por quatro anos e chegou a dar aulas de matemática. O interesse pela música teve início em 1964, ouvindo The Beatles e intérpretes da Jovem Guarda.

Em seus primeiros shows, realizados em bares e clubes de Recife, Reginaldo imitava Roberto Carlos. Na época, era acompanhado pelo conjunto The Silver Jets. Em 1966, o selo Chantecler lançou seu primeiro LP, "O pão", música título composta em parceria com Namir Cury e Orácio Faustino.

Em 1970, contratado pela gravadora CBS, Reginaldo Rossi afastou-se do gênero rock e passou a apresentar um repertório dentro do chamado brega-romântico, do qual se tornou um ícone.

No início da década de 80, já na EMI, gravou inúmeras composições suas, como "A Idade do Lobo" e "Uma Tentação", escrita com Bay Santiago. Nessa época, o cantor era um fenômeno de vendas no Norte e Nordeste, mas continuava esquecido no eixo Rio-São Paulo.

O sucesso em todo o Brasil veio com "Garçom". O hit foi lançado em 1987, mas estourou no final da década de 90. Com isso, lançou em 1998 o CD "Reginaldo Rossi Ao Vivo", com seus grandes sucessos, entre os quais, "A Raposa e as Uvas" e "Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme".

Em uma entrevista à revista "Veja", Reginaldo Rossi afirmou se orgulhar do título de "Rei" da música brega. Seu primeiro DVD foi gravado em 2006, com repertório escolhido por ele, composto apenas por grandes sucessos.

Em 2010, mantendo-se fiel ao estilo romântico exagerado, lançou seu segundo DVD, "Cabaret do Rossi". Na apresentação ao vivo, que contou com um cenário com elementos decorativos de um cabaret, fez releituras de grandes sucessos, tais como "Amor I Love You" e, até mesmo, "I Will Survive".

O DVD foi indicado ao 22º Prêmio da Música Brasileira, na categoria melhor álbum de canção popular. No mesmo prêmio, Reginaldo Rossi foi o vencedor na categoria de melhor cantor.

Ao longo da carreira, ele recebeu 14 discos de ouro, dois de platina, um de platina duplo e um de diamante. Teve diversas de suas composições gravadas por diferentes cantores e grupos, entre os quais, o Mastruz com Leite, que gravou um CD com suas composições em ritmo de forró.

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.