Home
últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Últimos stories
Sertanejo
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Malhação - Viva a Diferença
Novela Totalmente Demais
Novela Êta Mundo Bom!
Novela Novo Mundo
Novela Fina Estampa
As Aventuras de Poliana
Novela Amor Sem Igual
Novela Salve-se Quem Puder
Novela Amor de Mãe
Novela Nos Tempos do Imperador
Resumo de novelas
TV
BBB20
Domingão do Faustão
Masterchef Brasil
Caldeirão do Huck
Mais Você
Encontro com Fátima
Fantástico
Cinema
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Leonardo Dicaprio
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Gusttavo Lima
Camila Queiroz
Sabrina Sato
Michel Teló
Juliana Paes
Beleza & Estilo
Cabelos
Make
Moda
Primavera/Verão
Outono/Inverno
Dieta & Saúde
Beleza & Estética

Abra a janela! Ajude a combater a violência doméstica na quarentena

Compartilhe no Facebook
A quarentena pode significar risco para muitas mulheres: com parceiros agressivos, elas são vítimas de diversas formas de violência doméstica quando estão isoladas em casa. Para estimular o combate ao crime, o Instituto Avon, a Avon, a Natura e a The Body Shop se uniram na campanha no movimento #IsoladasSimSozinhasNão. Confira todos os detalhes a seguir!

Ficar em casa pode ser sinônimo de bem-estar, mas essa não é a realidade de muitas mulheres. Por conta da violência doméstica, o período de quarentena devido à pandemia da Covid-19 é sinônimo de risco. Um levantamento da Central de Atendimento à Mulher - Ligue 180, indicou que, durante o isolamento, houve um aumento de quase 9% no número de atendimentos. Já um estudo divulgado em 20 de abril pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e a Decode sinalizou que os números de ocorrências de violência doméstica aumentaram em 6 estados, se comparados com o ano passado. São eles: Mato Grosso, Pará, São Paulo, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Acre. Em algumas cidades, o crescimento de denúncias chegou a 50%

Campanha incentiva sororidade com pequenos gestos

Com o objetivo de combater tal crime, o Instituto Avon - criado há 17 anos para empoderar mulheres através de múltiplas ações - se uniu à Avon, Natura e The Body Shop para alertar sobre a situação da violência doméstica durante o isolamento social com a campanha #IsoladasSimSozinhasNão. Com projeções em mais de 30 pontos em todo o país, o projeto busca estimular a sororidade feminina. Dessa forma, até mesmo uma vizinha pode ficar atenta aos sinais de outra mulher e ajudá-la. O conceito e ação das imagens projetadas em todo o país foram desenvolvidos pela agência Wunderman Thompson. Através das redes sociais também é possível se mostrar aberta a ser rede de apoio, compartilhando a imagem de uma janela (veja abaixo!).

Destaque para redes sociais demonstra apoio à campanha
Destaque para redes sociais demonstra apoio à campanha

Crie uma rede de acolhimento para essas mulheres

Que tal dar continuidade às ações da campanha que começaram no mês de abril com influenciadoras das marcas e convidar as vizinhas, amigas e familiares a cuidarem da vida de outras mulheres que possam estar no alvo de agressores no confinamento? Se colocar como um ponto de apoio é essencial para que elas não se sintam sozinhas e desamparadas. Passando mais tempo dentro de casa, é comum que a gente comece a notar os hábitos e as rotinas dos vizinhos e este é o momento ideal para perceber algum sinal. "A violência doméstica se alimenta do silêncio e da invisibilidade. Ela se perpetua na indiferença, quando o autor acha que ninguém está olhando", afirma Daniela Grelin, Diretora Executiva do Instituto Avon.

Projeção Instituto Avon
Projeção Instituto Avon

Conscientização é parte fundamental do projeto

A Diretora Executiva ainda completamenta: "É fundamental conscientizar e ativar a rede de apoio às vítimas, criando um círculo de confiança formado por amigos, familiares e vizinhos. Estamos agindo no sentido de dar visibilidade à esta questão premente, divulgar a rede de acolhimento e serviços públicos e apoiar as organizações de amparo às vítimas". O Purepeople indica, a seguir, três formas práticas de ajudar uma mulher que você desconfia estar sendo vítima de violência doméstica.

1- Fique atenta às movimentações da casa

Ao primeiro sinal de desconfiança, a melhor atitude é prestar atenção na possibilidade de o agressor sair, ainda que por alguns minutos, para que você consiga fazer contato com a amiga/vizinha.

2- Crie códigos e sinais de alerta

Caso já tenha conseguido fazer o contato inicial presencial ou virtualmente, outra possibilidade é criar códigos, como uma determinada palavra que, enviada a você, signifique uma emergência. Usar elementos visuais, como um lenço da porta ou na maçaneta, por exemplo, é outra ideia.

3- Acione as autoridades

Em último caso, diante da impossibilidade de contato com a vítima, não hesite ao Ligue 180, disponível também em aplicativo para os sistemas Android e iOs. Por lá você também pode ter mais orientações para possíveis dúvidas. No entanto, se você tem certeza que uma amiga ou vizinha está sendo vítima de agressão ou outro tipo de violência, disque 190, recorrendo diretamente à Polícia.

(Por Marilise Gomes)

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.