Home
últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Novela A Dona do Pedaço
Novela Bom Sucesso
Novela Órfãos da Terra
Malhação - Toda Forma de Amar
As Aventuras de Poliana
Novela Topíssima
Novela Éramos Seis
Resumo de novelas
TV
Domingão do Faustão
The Voice Brasil
Caldeirão do Huck
Mais Você
Encontro com Fátima
Fantástico
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Gusttavo Lima
Camila Queiroz
Sabrina Sato
Michel Teló
Juliana Paes
Beleza e estilo PB valendo 27/08/19
Cabelo
Make
Moda
Dieta & Saúde
Beleza & Estética
Especial Arezzo valendo

Final de 'Babilônia' revela Otávio assassino e resgata beijos dos casais gays

Compartilhe no Facebook
Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg) se beijaram duas vezes no último capítulo da novela 'Babilônia', exibido em 28 de agosto de 2015
17 fotos
Iniciar o slideshow
Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg) se beijaram duas vezes no último capítulo da novela 'Babilônia', exibido em 28 de agosto de 2015
Inês e Beatriz morrem juntas no último capítulo da trama das nove, que teve pegada de trama policial e ótimos ganchos

A expectativa era pela revelação de quem matou Murilo (Bruno Gagliasso), mas eis que a novela "Babilônia" entrega um capítulo final surpreendente. Otávio (Herson Capri), que já havia protagonizado duas reviravoltas na trama, se revelou o misterioso assassino do cafetão. E o fim trágico de Inês (Adriana Esteves) e Beatriz (Gloria Pires) se concretizou. Porém, os beijos de Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg); Ivan (Marcello Melo Jr) e Sérgio (Claudio Lins) foram o ponto alto do desfecho. Os autores, equipe e elenco mandando literalmente beijos à rejeição do conservadores, depois de ter sido rotulada de grande fiasco.

Polêmica talvez seja a palavra que define melhor o que foi a trajetória de "Babilônia". Com toda a expectavia criada pelas chamadas antes da estreia, o trio de autores renomados e o elenco de peso, a primeira semana da novela causou forte um impacto, mas desencadeou uma derrocada na trama. Ousada, a história trouxe uma vilã devoradora de homens, um casal de lésbicas na terceira idade, a mocinha marrenta e de temperamento explosivo e uma pobre menina rica que seria aliciada para a prostituição pelo namorado cafetão.

O beijo de Estela e Teresa no já primeiro capítulo, a liberdade sexual de Beatriz e a marra de Regina (Camila Pitanga) dividiram o público. Enquanto questão homoafetiva sendo abordada agradava a uma parte dos telespectadores, os conservadores reagiram com rejeição e então vieram alterações que enfraqueceram a história. "Babilônia" acabou por não agradar nem a gregos, nem a troianos durante algum tempo. E Gilberto Braga amargou a humilhação, segundo palavras dele, de perder na audiência para "I Love Paraisópolis".

Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima

Com os números baixos veio a supervisão de Silvio de Abreu. Acelera daqui, corta dali, muda acolá... E a novela que era revolucionária e impactante, foi se ajustando e perdendo a força. A essa altura já tinha sido tomada como Judas e estava condenada a ser sistematicamente "malhada" nas redes sociais e continuar a batalha para alavancar os números. Ainda assim e apesar das alterações, a crítica social sempre continuou, nas falas preconceituosas da família do prefeito, nos discursos de Rafael (Chay Suede) e Laís (Luisa Arraes), em em diálogos que perpassavam quase todos os núcleos.

Até que os autores resolveram investir no "quem matou", que é uma espécie de marca registrada de Gilberto Braga. Juntamente com Ricardo Linhares e João Ximenes Braga, claro, e insere uma pegada policial na história e a partir da morte de Murilo a trama recupera o fôlego, esquentando novamente. No embalo ágil e instigante da reta final, tudo culmina num final eletrizante, com a surpresa da morte forjada de Otávio, a foto que o revelou assassino de Murilo e as vilãs duplamente punidas: com a prisão e a morte. "Juntas até o inferno", como prometido no primeiro capítulo.

A curva dramática que a novela faz, trazendo um capítulo final com a mesma dinâmica e ousadia do primeiro é a cereja do bolo. "Babilônia" sofreu rejeição sim e com isso vieram problemas, mas se reergueu. Talvez para muitos será lembrada como a pior novela de todos os tempos. Mas para outros será uma obra de grande importância pelas questões que levantou, e que fui punida com rejeição pelo pecado da ousadia. Mas mesmo assim reafirmou sua resistência e coragem nos momentos finais, deixando claro, com três beijos, que não está disposta a abaixar a cabeça definitivamente.

(Por Samyta Nunes)

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.