Home
últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Últimos stories
Sertanejo
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Malhação - Viva a Diferença
Novela Totalmente Demais
Novela Êta Mundo Bom!
Novela Novo Mundo
Novela Fina Estampa
As Aventuras de Poliana
Novela Amor Sem Igual
Novela Salve-se Quem Puder
Novela Amor de Mãe
Novela Nos Tempos do Imperador
Resumo de novelas
TV
BBB20
Domingão do Faustão
Masterchef Brasil
Caldeirão do Huck
Mais Você
Encontro com Fátima
Fantástico
Cinema
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Leonardo Dicaprio
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Gusttavo Lima
Camila Queiroz
Sabrina Sato
Michel Teló
Juliana Paes
Beleza & Estilo
Cabelos
Make
Moda
Primavera/Verão
Outono/Inverno
Dieta & Saúde
Beleza & Estética
Mundo Dellas

Médico preso pela morte de Michael Jackson vai voltar a exercer a profissão

Conrad Murray, o médico preso pela morte de Michael Jackson vai voltar a exercer a profissão. De acordo com o site norte-americano "TMZ", o cardiologista se voluntariou para tratar de crianças doentes em Trinidad e Tobago, no Caribe. Murray entrou com o pedido no Ministério de Saúde de Trinidad para trabalhar em hospitais locais. A licença médica de Murray foi revogada no Texas e suspensa na Califórnia e em Nevada, nos Estados Unidos.
Conrad Murray foi preso em novembro de 2011, em Los Angeles, na Califórnia.

O médico foi acusado pela morte de Michael Jackson por ministrar remédios perigosos, que colocavam a vida do artista em risco. Na época, a sentença emitida Murray foi negligente ao cuidar do paciente, o que foi configurado como "Homicídio culposo", quando não há intenção de matar. O réu foi solto em outubro de 2013 após cumprir quase metade da pena de 4 anos.

Durante as investigações foram encontrados anestésicos para dormir e balões de oxigênio no quarto do cantor. De acordo com o juiz Michael Pastor, juiz responsável pela pena, a sentença é justificável pois Conrand teria "abandonado" o seu paciente. "Dr. Murray mentiu, transgrediu e violou a confiança de seus colegas e de seu paciente", disse na época.

O rei do Pop morreu por uma overdose de anestésicos que tomava para dormir no dia 25 de junho de 2009. Murray teria sido contratado como médico particular do cantor para acompanhá-lo em sua turnê em Londres. Michael pretendia voltar aos palcos com a turnê "This is It".

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.