Home
últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Últimos stories
Sertanejo
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Malhação - Viva a Diferença
Novela Totalmente Demais
Novela Êta Mundo Bom!
Novela Novo Mundo
Novela Fina Estampa
As Aventuras de Poliana
Novela Amor Sem Igual
Novela Salve-se Quem Puder
Novela Amor de Mãe
Novela Nos Tempos do Imperador
Resumo de novelas
TV
BBB20
Domingão do Faustão
Masterchef Brasil
Caldeirão do Huck
Mais Você
Encontro com Fátima
Fantástico
Cinema
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Leonardo Dicaprio
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Gusttavo Lima
Camila Queiroz
Sabrina Sato
Michel Teló
Juliana Paes
Beleza & Estilo
Cabelos
Make
Moda
Primavera/Verão
Outono/Inverno
Dieta & Saúde
Beleza & Estética

Último capítulo de 'I Love Paraisópolis' emociona com final feliz de 'Gregot'

Compartilhe no Facebook
O amor de Margot (Maria Casadevall) e Grego (Caio Castro) e a amizade deles com Mari (Bruna Marquezine) e Ben (Maurício Destri) foi destaque do final da novela

O final feliz de Margot (Maria Casadevall) e Grego (Caio Castro), casal formado na trama atendendo a pedido dos fãs e ovacionado na web pela hashtag #Gregot, foi o maior destaque do último capítulo da novela "I Love Paraisópolis". Assim como a última terça parte da trama, o desfecho oscilou entre momentos de altos e baixos, mas fez sucesso entre o público, que levou o nome do folhetim aos assuntos mais comentados do Twitter durante sua exibição.

É inégável o sucesso da história de Alcides Nogueira e Mário Teixeira, conquistado desde a estréia, que teve a melhor audiência do horário em 3 anos, e se sustentou assim pelo menos até o casamento de Marizete (Bruna Marquezine) e Benjamin (Maurício Destri), que aconteceu pouco tempo depois da semana do capítulo 100.

Aí então teve início uma virada na trama, e com a antecipação do "felizes para sempre" do casal "MariBen", a dramaturgia começou a perder fôlego, o que levou o romance de Margot e Grego a assumir o protagonismo. Isso também pelo fato de, além de Maria e Caio terem muitos fãs e agradarem como casal dentro e fora da ficção, os dois personagens até então eram os mais humanizados, não eram nem completos mocinhos, nem vilões.

História de Grego e Margot se tornou fio condutor

A união dos rejeitados foi claramente um dos acertos, enquanto que a aposta em muitas tramas paralelas, talvez tenha sido o que mais enfraqueceu a novela, que algumas vezes parecia não ter um fio condutor principal. A interferência da máfia (duas máfias no fim das contas), uma onda de atentados que persistiu por muito tempo, dois sequestros de Maria e as "esquetes" de humor - quase totalmente descoladas da história - acabaram dispersando a atenção em vários momentos.

Contudo, a história de amor de Grego e Margot foi ganhando cada vez mais espaço e força, até que passou a segurar a trama na reta final, não só por mérito do roteiro e direção, mas principalmente pela qualidade do trabalho de Maria Casadevall e o carisma de Caio Castro. O ator, numa relação tão simbiótica com o personagem que nem parecia estar atuando nas cenas, fez do antagonista um herói (ou anti-herói?) que roubou para si as atenções do início ao fim.

Grandes coadjuvantes que fizeram a diferença

É importante destacar o brilhante trabalho de Caroline Abras, que tinha a personagem mais complexa da história. As transformações do papel foram muitas e não só externas, com as mudanças de visual, mas também internas, e a atriz foi consistente em todos os momentos. A mensagem deixada por Ximena no final, como mulher forte e independente que ela representa, é um avanço. Desistiu da paixão não correspondida por Grego, encontrou seu caminho profissional ao fazer justiça com o dinheiro de Gabo (Henri Castelli e mostrou que não é preciso casar e ter filhos para ter seu final feliz.

Outra que merece reverências é Fabiula Nascimento: emendou uma novela na outra e foi responsável por muitos dos momentos mais emocionantes de "I Love Paraisópolis", como por exemplo a cena de Paulucha visitando Grego na cadeia nesse último capítulo. Soraya Ravenle, a Eva, eLetícia Spiller com sua divertida vilã e o fiel escudeiro Junior (Frank Menezes) fizeram a diferença e também protagonizaram pontos altos da trama. E Tatá Werneck brilhou fazendo de Danda o que ela faz de melhor, sempre: humor de muito boa qualidade.

Embora tenha perdido um pouco o embalo (e a audiência) na última terça parte, a obra manteve sua estética inovadora com a pegada da cultura pop e certamente será lembrada pelo grande público como um sucesso do horário. Até a cena final fugiu do lugar comum, e em vez do clássico "fim", Mari olhou bem para a câmera e deixou a pergunta no ar: "Acabou, ou será que está só começando?".

(Por Samyta Nunes)

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.