Home
últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Novela A Dona do Pedaço
Novela Órfãos da Terra
Novela Verão 90
Malhação - Toda Forma de Amar
As Aventuras de Poliana
Novela Topíssima
Novela Jezabel
Novela Bom Sucesso
Resumo de novelas
TV
Domingão do Faustão
BBB19
Mais Você
Encontro com Fátima
Caldeirão do Huck
Fantástico
Cinema
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Leonardo Dicaprio
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Gusttavo Lima
Camila Queiroz
Sabrina Sato
Michel Teló
Juliana Paes
Cabelos
Make
Moda
Dieta & Saúde
Beleza & Estética

Novos hábitos podem salvar os seus cabelos da oleosidade! Vai perder?

Compartilhe no Facebook
Para descobrir se o seu cabelo é oleoso ou não, fique um dia sem lavar os fios e verifique se ele ficou com o aspecto engordurado
13 fotos
Iniciar o slideshow
Para descobrir se o seu cabelo é oleoso ou não, fique um dia sem lavar os fios e verifique se ele ficou com o aspecto engordurado
Em entrevista ao Purepeople, os especialistas Rudi Werner, Mario Silva e Anne Trentin explicam ainda o que causa a fabricação excessiva de óleo

Dicas caseiras, novos produtos no mercado, truques infalíveis... Quando se trata de cuidados com os cabelos, nós tentamos de tudo, não é mesmo? E durante o outono não é diferente, já que é preciso recuperar os estragos dos dias mais quentes. Para quem sofre com os efeitos da oleosidade, responsável por deixar a impressão de fios sujos e gordurosos, a atenção deve ser redobrada. Pensando nisso, o Purepeople conversou com três especialistas para entender e dar soluções para evitar esse problema. Rudi Werner, Mario Silva e Anne Trentin ensinam truques e debatem sobre esse incômodo comum entre as mulheres. "A maioria das brasileiras sofre com oleosidade excessiva, muito se deve pelo clima úmido do país", justifica Mario.

Veja também

Oleosidade na quantidade certa: 'Protege da quebra e poluição'

Nos casos em que uma pequena quantidade de óleo é produzida, não é necessário se preocupar. "É totalmente normal o mínimo de oleosidade no bulbo, principalmente após dias sem lavagem", afirma Rudi Werner. Assim como na pele, a oleosidade quando não fabricada de maneira excessiva é benéfica para os fios. Anne Trentin explica: "É o óleo natural do couro cabeludo que o protege da quebra e poluição. Caso contrário, serão extremamente secos." Quanto mais cacheado o cabelo for, menos chance de ter que lidar com o problema. "Os fios cacheados tendem a ser mais ressecados pela demora da oleosidade da raiz chegar às pontas", esclarece Mario.

Como reconhecer um cabelo oleoso: 'Fique um dia inteiro sem lavar'

Da mesma maneira que é necessário identificar o formato do rosto para a escolha do corte, reconhecer se os fios estão com uma quantidade exagerada de óleo pode auxiliar na hora de comprar produtos. O surgimento de algumas doenças de pele facilitam o diagnóstico, mas existem outros meios de descobrir qual é o seu tipo de cabelo. Anne ensina: "Fique um dia inteiro sem lavar e veja se está oleoso. Geralmente, os fios costumam ficar com aspecto gorduroso e sujo, e grudados na raiz." O ideal é lavar o cabelo de dois em dois dias para diminuir a fabricação da oleosidade. "Se o seu fio fica muito oleoso com qualquer alteração, seja de clima ou lavagem, ele é do tipo oleoso e isso favorece o aparecimento de dermatite seborreica na raiz também", aponta Mario, do salão Esmell Leblon. Ainda sobre a quantidade adequada de lavagem, Rudi alerta: "Se mesmo sendo lavado uma vez ao dia ele se mostrar oleoso após horas, é porque há algo irregular."

'Fios com oleosidade em excesso tendem a apresentar queda'

Os efeitos do óleo no cabelo podem ser negativos, mas também têm seu lado positivo. "Tendem a quebrar menos que os ressecados e precisam de menos hidratação", revela Anne, do salão Jacques Janine Fashion Mall. Segundo Rudi, mesmo com esses benefícios, é preciso uma dedicação adequada para não ser surpreendida com as consequências: "Os fios com oleosidade em excesso tendem a apresentar queda, principalmente se aliado a químicas, pois enfraquecem a raiz capilar." Para quem pinta o cabelo e tem os fios coloridos, Mario alerta: "Necessita de cuidados diários, e deve-se evitar uso de secador e químicas. Os fios perdem a vitalidade e possuem facilidade no aparecimento da caspa."

O óleo pode ser controlado: 'Evite aderir a franjas'

Engana-se quem pensa que lavar o cabelo todos os dias combate a oleosidade. Pelo contrário, a prática pode piorar. "Pode aumentar a produção do sebo pelo couro cabeludo, principalmente se não for lavado da maneira correta. Evite esfregar muito o shampoo na raiz e não use secador", reforça Anne. Os produtos podem definir as características dos fios e devem ser muito bem selecionados para não agravar ainda mais o problema. "O ideal é não usar produtos muito hidratantes, e condicionador apenas nas pontas, independentemente de ser seco ou oleoso. Não aproxime o secador da raiz e evite passar as mãos o tempo todo nos cabelos, pois a sujeira e oleosidade dos dedos vão diretamente para o couro", explica Rudi. As franjas influenciam negativamente a quantidade de óleo presente na pele, acrescenta Mario: "Se a pessoa já tem a pele e o cabelo oleosos, com certeza! Até porque exige cuidados, como com secador." Nesse caso, Anne indica: "Evite aderir a franjas!"

Hábitos que estimulam a oleosidade: 'Tomar banho com água quente'

Para evitar que o cabelo se torne ainda mais oleoso, hábitos que pareciam inofensivos precisam de uma atenção maior e devem ser revistos. "Resquícios de produtos; excesso de secador; passar a mão toda hora nos fios, pois sempre estão sujas", aponta Rudi. Além disso, a utilização de produtos e procedimentos errados podem colaborar, como revela Anne: "Shampoos e condicionadores em excesso, sempre fazer escovas progressivas e tomar banho com água quente." Mais agravante, a oleosidade pode ser gerada pelo próprio organismo e, se esse for o caso, deverá ser tratado com dermatologista. "São diversos fatores, que podem ser hormonais ou hábitos errados, como alisamentos, escovas e até alimentação errada", esclarece Mario.

(Por Fernanda Casagrande)

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.