Home
Últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Últimos Web Stories
Sertanejo
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Novela Império
Novela Gênesis
Novela A Vida da Gente
Novela Pega Pega
Novela Nos Tempos do Imperador
Novela A Viagem
Resumo de novelas
TV
A Fazenda 13
Power Couple
Ilha Record
The Masked Singer
Domingão com Huck
Caldeirão
Mais Você
Encontro com Fátima
Fantástico
Cinema
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Streaming
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Virginia Fonseca
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Gabi Martins
Andressa Suita
Sabrina Sato
Larissa Manoela
Casamento
Noivas
Looks para casamento
Make para casamento
Penteados para casamento
Beleza & Estilo
Cabelos
Maquiagem
Cuidados com a pele
Moda
Primavera/Verão
Outono/Inverno
Beleza & Estética
Saúde e Bem-estar
Beleza Madura
Dieta

Quer dar fim ao vício no celular com Mindfulness? Descubra como!

O que é e como praticar a técnica Mindfulness? Descubra como utlizá-la a seu favor para acabar com o vício do celular associando a técnica com a TAC (Terapia de aceitação e compromisso). Confira um passo a passo para colocar em prática desde já e nos próximos dias!

O celular geralmente é a primeira e a última coisa vista por nós durante o dia. Nos acostumamos com a disponibilidade de informação 24h por dia e com os serviços oferecidos por aplicativos. Atualmente, quem não tem um celular, não está completamente integrado à sociedade.

As horas passadas no smartphone sem consciência são um problema comum, no entanto, enfrentam resistência para ser resolvida. É de se esperar que as consequências do tempo perdido inconscientemente comecem a refletir nos nossos relacionamentos e projetos pessoais e profissionais. Entretanto, tudo o que é demais não faz bem e um detox digital acaba sendo necessário para o bem-estar.

Vídeo relacionado

Assim como qualquer movimento repetitivo, o uso constante e compulsivo do celular pode afetar o funcionamento dos nossos olhos, coluna e mãos. Além disso, as relações humanas se tornam impessoais, pois o aparelho faz o papel de intermediário, deixando de lado a empatia, uma vez que o contato pessoal diminui.

E completando tudo isso, se pararmos para pensar na última vez na qual completamos uma tarefa sem ter a atenção voltada ao celular, perceberemos o quão nossas vidas foram afetadas por esse vício. Por este motivo, temos que buscar caminhos para amenizar a ansiedade no dia a dia. O site Wemystic, parceiro do Purepeople em temas como astrologia e dicas de bem-estar, te ajuda com algumas dicas essenciais a seguir!

TAC + MINDFULNESS

A sigla TAC significa "Terapia de aceitação e compromisso". Nessa terapia, desenvolvemos nosso autocontrole a partir da aceitação da natureza dos acontecimentos. Ou seja, se algo te magoar, sinta a tristeza, se algo te constrange, sinta o constrangimento. Isso significa que não há ganhos edificantes quando fugimos dos nossos problemas, mas sim quando os enfrentamos.

Associando essa ideia ao vício no celular, a intenção é pensarmos de que forma nos sentimos antes de utilizá-lo: tédio, desconforto, tristeza? É importante prestar atenção nos gatilhos. O mindfulness, ou atenção plena, oferece por sua vez o suporte para a TAC.

Essas duas práticas podem ser incorporadas lentamente em seu cotidiano, assim, elas serão assimiladas de forma mais natural pelo seu organismo.

Dicas Práticas: Comece com estas pequenas adições em seu cotidiano

Observar: sem juízos de valor, verifique seu estado mental e físico. Se pergunte como seu corpo se sente quando você cede à tentação de usar o celular, para onde seus pensamentos vão e qual postura você toma. Observe não apenas a si mesma, mas também as outras pessoas do seu âmbito pessoal de maneira crítica e sem julgamentos.

Agradecer: substitua o ato de checar o celular logo após acordar pelo ato de agradecer pelas pessoas e circunstâncias que te fazem feliz. Mentalize situações positivas

Meditar: faça uma caminhada meditativa pela manhã, sem pressa, observando as peculiaridades de seu entorno.

Natureza: sem levar o celular, caminhe por um ambiente natural, pode ser um parque, para entrar mais em contato com a natureza.

Pessoas: converse com pessoas interessadas por mindfulness, assim, vocês poderão trocar conselhos e acompanhar o desenvolvimento mútuo.

Então, o que fazer depois disso? Sem deixar de ter em mente que restrições muito rígidas não são a porta de entrada para um empreendimento de sucesso, precisamos ter consciência dos nossos vícios de maneira madura. Vamos aprofundar a abordagem capaz de oferecer uma saída realista do problema, longe de privações totais e utilizando a autonomia já existente em cada um de nós!

Dicas para colocar em prática na rotina hoje mesmo

O objetivo é ir assimilando aos poucos as práticas trazidas da TAC e do Mindfulness. Portanto, não é necessário que cobranças estressantes sejam feitas, pois se trata de uma reeducação de hábito. O mais importante é garantir o bem-estar em sintonia com a sua rotina.

Semana 1: Atue apenas observando-se. Intuitivamente, você conseguirá distinguir quais são os momentos em que o celular é usado para calar um sentimento negativo e quais momentos seu uso se fez necessário. Nesse momento, é necessário angariar dados para analisar melhor as situações.

Por isso, com a ajuda de um caderno ou bloco de notas, escreva pequenas observações acerca de seu uso do celular, como por exemplo quais pensamentos passaram pela sua cabeça a cada vez que o celular era acionado. Com isso, você terá mais concretude para se apoiar e presumir quais sentimentos funcionam como um gatilho para você.

Semana 2: É natural que a maioria das vezes em que o celular é utilizado, é para fugir de situações de tédio, tristeza ou desconforto. Você perceberá isso após a primeira semana. A segunda semana, por sua vez, será guiada pela "análise funcional". A análise funcional é um método que visa aprofundar um pouco mais as informações.

Com a ajuda dessa metodologia, suas anotações não serão concentradas somente nos sentimentos ou pensamentos, mas também em quanto tempo e quais aplicativos utilizados, bem como os efeitos a curto e longo prazo que o uso do celular desencadeou. Em outras palavras, é olhar-se com mais crítica, analisar-se e tirar conclusões edificantes disso.

Semana 3: Na terceira semana, atenha-se somente a um compromisso, o de se observar, e a cada vez que sentir vontade de usar o celular para escapar do desconforto, faça 10 respirações. Observe também como a vontade se comporta durante essas dez respirações (aproveite a oportunidade para colocar em prática a técnica da respiração das narinas alternadas).

A ideia é que ao invés de se sentir privado de algo, você esteja o oposto: mais atento e consciente de suas escolhas.

Semana 4: depois dessas semanas com esse pequeno experimento, tente manter e ir alterando o que achar necessário. Não se culpe quando não conseguir e tenha em mente que tudo isso faz parte de um processo. Veja algumas orientações para a quarta semana em diante:

1 - Recorra às 10 respirações conscientes em caso de dúvida;

2 - Pense a respeito dos sentimentos negativos após utilizar o aparelho;

3 - Compartilhe o experimento com amigos;

4 - Pare de usar o celular por volta das 18h. Assim, você poderá dormir e ter mais tempo longe do dispositivo;

5 - Tenha momento de "trapaça" intencional ao longo do dia. Momentos pré-determinados para que você se distraia também são importantes para afastar o estigma de proibição.

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.