Home
Últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Namoro
Sertanejo
Últimos Web Stories
Famosos do esporte
Instagram dos famosos
Gravidez das famosas
Look de famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Novela Pantanal
Novela Cara & Coragem
Novela Além da Ilusão
Novela Carinha de Anjo
Novela Poliana Moça
Novela Reis
Novela A Favorita
Resumo de novelas
TV
Power Couple Brasil
Masterchef Brasil
A Fazenda
BBB 23
Reality Show
Domingão com Huck
Caldeirão
Mais Você
Encontro com Fátima
Séries
Filme 365 Dias
Casamento às Cegas Brasil
Cinema
Séries e filmes
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Virginia Fonseca
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Paolla Oliveira
Wanessa
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Jade Picon
Andressa Suita
Sabrina Sato
Larissa Manoela
Casamento
Noivas
Looks para casamento
Make para casamento
Penteados para casamento
Inverno
Beleza & Estilo
Cabelos
Maquiagem
Cuidados com a pele
Moda
Primavera/Verão
Outono/Inverno
Beleza & Estética
Saúde e Bem-estar
Beleza Madura
Dieta
Astrologia
Coluna É Trend!
Home Últimas Notícias

Namorada do ator Rafael Miguel desabafa após prisão do pai: 'Não é fácil ser filha de assassino'

Namorada do ator Rafael Miguel desabafa após prisão do pai: 'Não é fácil ser filha de assassino'
9 fotos
Após a prisão do pai, o assassino do ator Rafael Miguel, Isabela Tibcherani desabafou: 'Não é fácil carregar o peso de ter o nome de uma pessoa que cometeu um dos maiores crimes nacionais'. Saiba mais!

Três anos depois da morte de Rafael Miguel e de seus pais, João Alcisio e Miriam, Isabela Tibcherani, namorada do ator na época do assassinato, desabafou após a prisão do pai, Paulo Cupertino, acusado do crime. "Não é fácil ser filha de um assassino. Não é fácil carregar o peso de ter o nome de uma pessoa que cometeu um dos maiores crimes nacionais", lamentou em entrevista ao "Fantástico" deste domingo (22).

Segundo Isabela, principal testemunha do crime, sua vida não pode ser retomada desde então. "Essa exposição toda me prejudicou bastante. Independente de eu ser inocente nessa situação, as empresas, acredito que não querem esse tipo de associação. Então acabam dispensando. Ainda existe um peso, né, que as pessoas colocam pelo fato de eu ser filha dele", avaliou.

Namorada de Rafael Miguel faz revelação sobre relação com o pai

Segundo a delegada Ivalda Aleixo, responsável pelo caso, Paulo Cupertino era obcecado pela filha. Isabela, confirmou na entrevista: "Ele não era uma pessoa que tinha algum tipo de coisa afetiva. Era uma possessão mesmo. Ele não me deixava viver, ele era extremamente controlador. Então, eu não tinha uma vida de fato até os meus 18 anos".

Com a vida devastada, Isabela garantiu que, para ela, seria melhor nunca ter tido Paulo Cupertino em sua vida: "[Digo] Que eu não tenho pai. Sei lá, para mim seria bom que ele nem existisse", disparou. Mas garantiu que tem esperança: "A minha força vem de um lugar maior, e o meu desejo de viver ele é muito maior ainda. Eu tenho muita vontade de chegar nos lugares que eu sonho, de alcançar os meus objetivos e eu me vejo fazendo tudo isso, sabe? É isso que me motiva todos os dias".

Sobre a prisão do pai, Isabela opinou: "Embora não vá aparar nada do que aconteceu, não vá diminuir as dores, a pessoa que causou esse mal todo está preso agora e não vai sair impune. Isso meio que conforta, de alguma forma. É como se os pesos fossem gradativamente se aliviando na nossa vida, e eu tenho fé e desejo que não só para mim, mas que também para família do Rafael, que aos poucos as coisas voltem a se acalmar e que exista esse senso de justiça para tudo de ruim que aconteceu".

E finalizou falando de Rafael Miguel, com quem manteve um relacionamento por 1 ano e meio, até o artista ter sido morto a tiros: "O pouco tempo em que ele esteve na minha vida foi o momento que eu me senti mais feliz".

|
Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.