Home
últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Últimos stories
Sertanejo
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Malhação - Viva a Diferença
Novela Haja Coração
Novela Laços de Família
Novela Flor do Caribe
Novela A Força do Querer
Novela Amor Sem Igual
Novela Salve-se Quem Puder
Novela Nos Tempos do Imperador
Novela Amor de Mãe
Resumo de novelas
TV
A Fazenda 12
Domingão do Faustão
Masterchef Brasil
Caldeirão do Huck
Mais Você
Encontro com Fátima
Fantástico
Cinema
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Streaming
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Gusttavo Lima
Camila Queiroz
Sabrina Sato
Michel Teló
Juliana Paes
Beleza & Estilo
Cabelos
Make
Moda
Primavera/Verão
Outono/Inverno
Dieta & Saúde
Beleza & Estética

Debbie Rowe ameaça Conrad Murray de morte: 'Não o mataria, mas compraria a bala'

Debbie Rowe, ex-mulher e mãe de dois filhos de Michael Jackson, está ameaçando de morte Conrad Murray, médico condenado pela morte do cantor. Em entrevista ao site americano "TMZ", nesta segunda-feira (25), a enfermeira está "indignada" com a entrevista dele Murray ao tabloide britânico "Daily Mail" na qual afirma que ele e Michael costumavam brincar que nenhum dos dois gostaria de fazer sexo com ela.

Ao "TMZ", Rowe disse que acredita que em menos de 18 meses "um fã de Jackson vai matá-lo, e eu terei comprado a bala. Eu não o mataria, mas compraria a bala... uma de ponta oca". De acordo com a publicação, esta bala é considerada altamente letal, já que ela se estilhaça assim que entra no corpo, atingindo vários órgãos.

Conrad Murray foi condenado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) na morte de Michael Jackson, em 2009. Ele saiu da prisão em outubro de 2013, após cumprir dois anos dos quatro anos de detenção.

A enfermeira ainda ficou furiosa com o fato de Conrad Murray alegar que Michael Jackson se matou ao injetar uma dose fatal de Propofol, enquanto ele estava fora do quarto. "É tão nojento que ele está destruindo os mortos. O júri certamente não comprou sua história", declarou Debbie Rowe.

Na entrevista ao tabloide britânico "Daily Mail", no último domingo (24), Conrad se defende das acusações de ter sido negligente com o cantor. "Quer saber como eu era próximo dele?", perguntou Murray, antes de dizer que todas as noites para ligar um cateter no órgão genital de Michael, devido à incontinência urinária. "Ele usava calças escuras, pois, depois de ir ao banheiro, ficava respingando por horas", contou Murray.

Ainda de acordo com o "Daily Mail", o médico contou que Michael não sabia como colocar uma camisinha. Então, ele que fazia isso. A proteção era parte de um equipamento médico usado para incontinência urinária. Murray conta que ela era ligada ao cateter, tubo que levava a urina a um recipiente. Ele afirma que era uma das únicas pessoas em que o cantor confiava no fim da vida, e que fez tudo para salvá-lo: "Eu não matei Michael Jackson. Ele era um viciado em drogas. Foi Michael Jackson quem matou acidentalmente Michael Jackson".

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.