Home
últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Últimos stories
Sertanejo
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Malhação - Viva a Diferença
Novela Haja Coração
Novela Laços de Família
Novela Flor do Caribe
Novela A Força do Querer
Novela Amor Sem Igual
Novela Salve-se Quem Puder
Novela Nos Tempos do Imperador
Novela Amor de Mãe
Resumo de novelas
TV
A Fazenda 12
Domingão do Faustão
Masterchef Brasil
Caldeirão do Huck
Mais Você
Encontro com Fátima
Fantástico
Cinema
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Streaming
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Gusttavo Lima
Camila Queiroz
Sabrina Sato
Michel Teló
Juliana Paes
Beleza & Estilo
Cabelos
Make
Moda
Primavera/Verão
Outono/Inverno
Dieta & Saúde
Beleza & Estética

Michael Jackson morreu virgem, afirma Sullivan, autor da biografia do rei do pop

Michael Jackson teria morrido virgem. Para o jornalista americano Randall Sullivan, autor de "Intocável: a estranha vida e a trágica morte de Michael Jackson", biografia que acaba de ser lançada no Brasil pela Companhia das Letras, o rei do pop não se relacionou sexualmente com crianças, homens e mulheres.

"Não achei nada que me levasse a acreditar que ele teve relações sexuais. Isso não quer dizer que ele não tenha tido algum contato sexual com alguém, mas uma relação mesmo, eu acredito que ele não teve. Eu também acredito no que ele dizia sobre estar perto das crianças, que aquilo lhe permitia experimentar a infância perdida. Sei que são impulsos semelhantes aos que formam a psicologia de um pedófilo, mas não há como ser conclusivo sobre uma suposta pedofilia de Michael. Quando mil crianças testemunham dizendo que nada aconteceu, e apenas três dizem que aconteceu, me parece que há uma motivação financeira para as famílias dessas três", afirmou o autor da biografia em entrevista ao jornal "O Globo".

Colaborador e editor da revista "Rolling Stone" por mais de 20 anos, Sullivan começou a escrever "Intocável" logo depois da morte de Jackson, em 25 de junho de 2009. A ideia original era fazer um longo artigo para a revista, mas muitas perguntas apareceram. "Havia muitas contradições, muitos Michaels para dissecar. Então o livro nasceu meio que naturalmente, desse desejo de esclarecer minhas próprias curiosidades, mais sobre sua personalidade do que sobre o artista", declarou.

Vale lembrar que assim que um trecho da biografia foi publicado numa revista, os advogados de La Toya e Janet, irmãs do cantor, enviaram cartas ameaçando processar Sullivan. "As ameaças das irmãs não me incomodaram. Tenho tudo documentado, tudo o que está no livro é público", finalizou ele.

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.