Home
últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Novela A Dona do Pedaço
Novela Bom Sucesso
Novela Órfãos da Terra
Malhação - Toda Forma de Amar
As Aventuras de Poliana
Novela Topíssima
Novela Éramos Seis
Resumo de novelas
TV
Domingão do Faustão
The Voice Brasil
Caldeirão do Huck
Mais Você
Encontro com Fátima
Fantástico
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Gusttavo Lima
Camila Queiroz
Sabrina Sato
Michel Teló
Juliana Paes
Beleza e estilo PB valendo 27/08/19
Cabelo
Make
Moda
Dieta & Saúde
Beleza & Estética
Especial Arezzo valendo

'As empresas não estão preparadas para lidar com o assédio', reflete Su Tonani

Compartilhe no Facebook
Após expor o assédio sexual sofrido por José Mayer, a figurinista refletiu sobre a inexistência de protocolos para lidar com o assunto dentro de ambientes de trabalho. Segundo a profissional, as empresas não sabem lidar com o problema: 'Não existe um protocolo. Existe para um acidente de trabalho, para assédio, não. Tudo isso vai dificultando o seu trabalho'

Su Tonani causou uma transformação na Globo ao expor o assédio sexual sofrido por José Mayer no trabalho. A partir da denúncia, a emissora adotou um novo manual de conduta para evitar novos casos de abuso. Durante participação na palestra Mulher no Trabalho, realizada na OAB-RJ, a figurinista disse que as empresas ainda não sabem lidar com o assunto: "Vivi uma história de assédio que foi para a mídia, que foi uma forma que eu quis lutar a favor de mim mesma depois de ter ido a várias instâncias dentro de uma empresa. Porque infelizmente as empresas não estão preparadas para lidar com o assédio. Não existe um protocolo. Existe para um acidente de trabalho, para assédio, não. Tudo isso vai dificultando o seu trabalho, a sua forma de lidar com aquela empresa. Infelizmente as empresas não estão prontas".

Figurinista fala de sororidade após expor caso: 'Vamos nos unir'

Apesar de não ter formalizado a denúncia contra o ator, Tonani destacou que é importante denunciar os casos: "Esse lugar de falar exaustivamente que vai mudar isso. Fazer deixar e ser piada é brincadeira. É brincadeira para quem? Um cara sabe o que ele está fazendo quando elogia sua bunda, quando ele fala do seu decote. Temos que ter voz e denunciar, não importa como. Cada um tem que ligar com a sua realidade não importa quem seja: seu pai, seu tio, seu chefe. Precisamos ter consciência do nosso corpo, do nosso lugar e lutar por nós mesmas". A figurinista disse que a sororidade foi importante após a denúncia: "Que a nossa união dê força à essas mulheres que estão passando por tudo isso porque eu fui muito abraçada. E que bom que hoje estou aqui para dizer: vamos nos unir. Hoje existem placas em sets de filmagem que se lê: 'Aqui não é lugar de assédio'. Temos que tirar o tema da marginalidade porque ele acontece. Quando você trata desse assunto em um lugar menor fica parecendo que a vítima é que tem que se esconder e não. A culpa está no assediador".

Profissional comenta críticas: 'Tem que mulheres que não entendem'

A denúncia de assédio criou uma mobilização entre atrizes. Porém, algumas chegaram a reprovar a atitude de Tonani. Para a figurinista, as críticas são baseadas em falta de compreensão: "Para as mulheres que não apoiaram é que elas tenham tempo para olhar o mundo de outra forma. As coisas estão mudando. E que não é piada. Tem mulheres que não entendem o que outras mulheres estão falando. Espero que elas tenham tempo para observar e mudar a posição delas com relação ao social, ao mundo e aos casos de assédio".

Tonani cita importância de denunciar: 'Melhor do que se sentir invisível'

Tonani assumiu que não foi fácil tornar público o abuso sofrido. Porém, a figurinista destacou a importância de denunciar: "É doloroso. É difícil tomar essa decisão, mas é pior ser invisível. É pior sofrer o assédio. É melhor lutar por si do que continuar passando por isso. Sei que é difícil tomar essa decisão, mas por experiência própria é melhor tirar e você, sair desse lugar de vítima, falar. Não sei qual é a realidade dessas mulheres, mas entende-la e entender o que se pode fazer é muito melhor do que se sentir invisível e abusada". Segundo a profissional, a defensoria pública foi bastante receptiva: "Eles me atenderam muito bem, me ouviram, me acalmaram e esse é um lugar que todas nós temos direito. Todas nós podemos direito e podemos procurar. Espero que todas tenham força".

(Com apuração de Patrick Monteiro e texto por Tatiana Mariano)

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.