Home
Últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Namoro
Sertanejo
Últimos Web Stories
Carnaval
Famosos do esporte
Instagram dos famosos
Gravidez das famosas
Look de famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Novela Pantanal
Novela Cara & Coragem
Novela Quanto Mais Vida, Melhor
Novela Além da Ilusão
Novela Carinha de Anjo
Novela Poliana Moça
Novela Reis
Novela A Favorita
Resumo de novelas
TV
Power Couple Brasil
Masterchef Brasil
A Fazenda
BBB 23
Reality Show
Domingão com Huck
Caldeirão
Mais Você
Encontro com Fátima
Séries
Filme 365 Dias
Cinema
Séries e filmes
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Virginia Fonseca
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Paolla Oliveira
Wanessa
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Jade Picon
Andressa Suita
Sabrina Sato
Larissa Manoela
Casamento
Noivas
Looks para casamento
Make para casamento
Penteados para casamento
Beleza & Estilo
Cabelos
Maquiagem
Cuidados com a pele
Moda
Primavera/Verão
Outono/Inverno
Beleza & Estética
Saúde e Bem-estar
Beleza Madura
Dieta
Astrologia
Coluna É Trend!

Uso da maconha medicinal é defendido por famosos. Expert opina!

9 fotos
Os produtos derivados da maconha são usados para tratar sintomas de diversas doenças e empresária Thainá Zanholo fala sobre os tabus do assunto.

Henrique Fogaça e Claudia Rodrigues são famosos que têm em comum uma luta: a desmistificação do uso da maconha em tratamentos.

Claudia precisa dos efeitos terapêuticos da erva para tratar a esclerose múltipla. No caso de Fogaça, o caso raro de epilepsia que atinge o tônus muscular de sua filha e que a fazia ter 20 convulsões por dia, tem tido resultados excepcionais com a maconha medicinal, fato motivador para a decisão de inaugurar um instituto de pesquisas de CBD em São Paulo, ainda este ano.

"Há 3 anos ela vem usando o óleo medicinal chamado CBD, que é extraído da planta Cannabis Sativa, mais conhecida como 'maconha'. E digo pra vocês que graças à planta 'sagrada', ela está cada dia melhor, com um semblante de paz, de alegria, sorrindo e sentindo os pequenos prazeres da vida, como poder se alimentar pela boca, ficando em pé com ajuda de um aparelho específico para as pernas e dia após dia, evoluindo", declarou o chef.

As melhorias experimentadas pela filha de Henrique Fogaça, inclusive, são respaldadas cientificamente. Pesquisa recente liderada pelo departamento de ciências do cérebro do Imperial College London e publicada na revista científica BMJ Paediatrics Open constatou que o uso de maconha medicinal reduz em 86% as crises de epilepsia em crianças.

Cannabis além do tabu: os benefícios à saúde

Para Thainá Zanholo, empresária da indústria canábica e criadora da plataforma Nowdays, que produz conteúdo de educação sobre a planta, os claros benefícios passaram a ser vistos há pouco tempo. Por isso, a atuação de figuras públicas é fundamental para que a maconha seja tratada com seriedade nos setores político e social.

"O posicionamento de Fogaça e de outras celebridades de relevância é muito importante, pois o testemunho deles tem o poder de influenciar e formar opinião", afirma.

"Quando um chef de cozinha nacionalmente conceituado fala sobre isso, ele naturalmente leva informação para fora da bolha, para pessoas que o seguem por sua habilidade na cozinha e que nunca ouviram falar sobre, para aqueles que ainda acham que maconha é uma droga que precisa ser banida ou mesmo para o público que é bem informações, mas não discute o assunto", analisa.

Uso de cannabis para fins médicos

Para Thainá Zanholo, a mudança de mentalidade com base nos formadores de opinião, desconstrói o imaginário popular. Segundo ela, as pessoas normalmente já têm formada, no subconsciente, a ideia de que a maconha é uma droga e não uma planta que pode beneficiar muita gente.

Além disso, por meio das celebridades, o assunto é abordado de forma mais despretensiosa, introduzindo o tema de maneira menos impositiva, o que abre espaço para o diálogo.

No Brasil o uso de canabidiol no tratamento ainda é inacessível. A recomendação médica, no geral, só vem após o insucesso de outros tratamentos. A compra é outro desafio. Os produtos são importados e, por isso, tem custo elevado.

"Quando o governo adota uma posição de permitir a compra apenas em casos específicos e burocratizar a aquisição dos medicamentos, cria uma grande desigualdade no acesso ao tratamento", observa.

"Já há iniciativas que buscam trazer o tratamento para o SUS, por exemplo, mas a cannabis ainda é colocada em caixinhas de 'aceitável' e 'inaceitável', o que não ajuda ninguém, pelo contrário, apenas dificulta que muitas pessoas tenham uma melhor qualidade de vida, em nome da ignorância e do preconceito acerca da cannabis", pontua a empresária.

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.