Home
últimas
Famosos Brasileiros
Famosos Internacionais
Famosos na praia
Filhos de famosos
Fotos de famosos
Vídeos
Últimos stories
Sertanejo
Namoro
Instagram dos famosos
Principais notícias
Todos os temas
Novelas
Malhação - Viva a Diferença
Novela Totalmente Demais
Novela Êta Mundo Bom!
Novela Novo Mundo
Novela Fina Estampa
As Aventuras de Poliana
Novela Amor Sem Igual
Novela Salve-se Quem Puder
Novela Amor de Mãe
Novela Nos Tempos do Imperador
Resumo de novelas
TV
BBB20
Domingão do Faustão
Masterchef Brasil
Caldeirão do Huck
Mais Você
Encontro com Fátima
Fantástico
Cinema
Tapete vermelho
Estreias
Oscar
Cannes
Streaming
Festival do Rio
Angelina Jolie
Jennifer Aniston
Brad Pitt
Tom Cruise
Famosos
Bruna Marquezine
Marina Ruy Barbosa
Sasha
Anitta
Grazi Massafera
Ivete Sangalo
Kate Middleton
Meghan Markle
Marilia Mendonça
Gusttavo Lima
Camila Queiroz
Sabrina Sato
Michel Teló
Juliana Paes
Beleza & Estilo
Cabelos
Make
Moda
Primavera/Verão
Outono/Inverno
Dieta & Saúde
Beleza & Estética

Dieta restritiva ou transtorno alimentar? Psicóloga explica a diferença

Compartilhe no Facebook
Naturalização de regimes pode encobrir distúrbios na alimentação. Entenda!

Dieta da sopa, dieta da proteína, dieta da Jennifer Lopez, dieta low carb, dieta sem glúten, Fast Mimicking: cada vez um regime da moda. Mas como diferenciar uma pessoa com alimentação baseada na restrição de alguém com transtorno alimentar? De acordo com Vanessa Tomasini, psicóloga especializada em distúrbios alimentares, a naturalização das dietas cria uma barreira para essa identificação: "Muitas vezes, uma boa parte dos pacientes tem distúrbios alimentares e acaba sendo difícil diagnosticar justamente porque está tão inserido na nossa sociedade o fazer dieta, o ser magro. Quando a pessoa diz que está em dieta ninguém olha preocupado. É natural, é normal, é um comportamento típico. A gente acha normal ouvir frases do tipo 'eu vivo em dieta' quando, na verdade, é um ponto de interrogação para de repente poder se perguntar 'peraí, por quê?', 'para que essa restrição alimentar?', 'o que ela está evidenciando?'."

'Você percebe que passa a tirar paz da pessoa', explica psicóloga

Segundo Vanessa, os extremos sinalizam que há algo de errado. "Uma das coisas que ajuda a gente a diferenciar quando esse comer – o que você come, quando você come, a quantidade que você come – se torna problemático, inadequado, é quando isso te gera uma angústia muito grande. Ou seja, o comer deixa de ser natural, consciente e intuitivo, para ser algo sempre premeditado, uma preocupação extrema o tempo inteiro com o que eu vou comer, onde vou comer, se aquele lugar tem uma comida específica. A alimentação começa a ter muita restrição dentro do distúrbio alimentar, então você percebe que isso passa a tirar a paz da pessoa, e esse é um dos momentos que a gente começa a levantar as orelhas para observar um pouco melhor", explica. A preocupação muito grande com o ganho ou a perda de peso, por sua vez, pode ainda ser um indicativo de distorção de imagem: "A pessoa se vê maior na forma e no tamanho do que ela realmente é."

'O corpo é a forma delas de trabalho', diz sobre musas fitness

No mundo das musas fitness e dos corpos sarados do Instagram, onde rotinas de dieta e exercícios são compartilhadas em massa, é importante compreender o estilo de vida dos influenciadores e evitar comparações para que elas não gerem fortes cobranças sobre corpo. "Acho que uma das primeiras coisas é entender que essas pessoas que são musas fitness trabalham com isso, então o corpo é a forma delas de trabalho, tudo que elas fazem é em prol desse corpo que é o instrumento de trabalho delas, é uma opção, uma escolha", analisa a profissional.


(Por Vanessa Nogueira)

Acompanhe também as últimas notícias dos famosos pelo nosso Facebook.